Loading

Luís Vendeirinho

O GUICHÉ DA SOLIDÃO

O GUICHÉ DA SOLIDÃO

- Bom dia! É aqui o guiché da solidão?

- Bom dia? Bem, depende... Trata-se de solidão de rico, ou será solidão de pobre?

- Bem... Eu penso que será solidão de pobre, mas não tenho bem a certeza disso.

- O senhor pensa que, ou tem a certeza?

- (...) Tenho a certeza, e uma certa urgência.

- O guiché da solidão de pobre é no piso inferior. Devo avisar que não atendem urgências.

- Muito agradecido, muito agradecido.

Já no piso inferior:

- Bom dia! Disseram-me que seria aqui o guiché da solidão de pobre. Não estou enganado?

- Bom dia? Se está enganado não vem ao caso. É sim senhor. Pobre de espírito, ou tem mesmo falta de recursos?

- Bem... Há momentos em que é mais de espírito, mas há dias em que também precisava de mais ajuda.

- Ajudamos, para a pobreza de espírito ainda não há legislação em vigor, mas trata-se de esmola ou prefere um crédito?

- Esmola... esmola... Prefiro um crédito!

- Então seria um crédito para solidão de pobre?

- Sim, sim. Eu sei que não atendem urgências, mas é coisa para demorar quanto tempo?

- Ora deixe-me consultar as nossas tabelas...

(...)

- Prefere um crédito consolidado?

- Desculpe?

- No seu caso poderia ter um crédito que englobasse a solidão e a pobreza. Tem muitas vantagens.

- E...?

- Poderíamos estudar a possibilidade de aderir ao Partido para efeitos de solidão. Para a pobreza depende sempre de ter algo para hipoteca.

- Hipoteca?

- Sim. O senhor dar-nos-ia o seu nome como penhor...

- E se eu vos confiasse a minha inteligência?

- Bem. Não nos faça perder este tempo precioso. Se se trata da inteligência, há que avaliar se o seu caso contempla solidão de rico, ou de pobre...

- Eu tenho a certeza que é inteligência, e de rico!

- Então o guiché da solidão de rico é no piso superior...

LV