Loading

Luís Vendeirinho

BARQUEIROS (poema)

BARQUEIROS (poema)

Serão nossas estrelas

O mar da luz, a luz das velas,

E nós ali, em paz a vê-las

E à alvorada cada dia,

Rasgando a terra molhada

Onde o Outono se incendeia

Dando à alma, já iluminada,

Os frios das neves, e da geada,

E nem o sopro dos ventos

Que desenfreados cantam

Cala promessas, quietas, lamentos,

Porque nossas memórias

Encantadas dessa Natureza

São mais que seu silêncio,

São um amor que jorra, imenso,

Como fontes brotando, límpidas,

Lavando da vida todas as histórias,

E trazendo eternidade

Para dar campa a nosso olhar

Preso no chão, livre

Para enfim reinar

Onde moram os barqueiros

Cujas barcas navegam sobre a pedra,

Onde os pastores dormem à sombra

Dos céus inteiros, onde há um rosto de luar…

LV